01 PM | 06 jan

Lições de um Jovem Empreendedor

Hoje decidi escrever algo diferente. Vejo muitas pessoas querendo ser advogados(as), médicos(as) ou engenheiros(as). Mas pouquíssimos querem seguir a carreira de negócios. Foi apenas após minha estada de 1 mês no Vale do Silício em 2013 que passei a entender verdadeiramente a beleza desta opção que é se tornar empresário. Por meio deste texto, venho compartilhar com vocês o que aprendi.

Primeiramente, ao contrário do que se pensa, ser empresário não significa necessariamente ser chefe executivo de uma grande multinacional. A profissão tem mais a ver com o potencial de criar e tranformar meras ideias abstratas em realidade. Dessa forma, se você quer mudar o Mundo e tem alta tolerância a riscos, deu sorte: hoje, a internet e tecnologia nos permitem implementar ideias mais facilmente do que nunca. Um computador e um certo conhecimento de programação são suficientes para rodar seu primeiro produto.

Tomemos como exemplo Elon Musk, cofundador do PayPal (gateway de pagamento online mais usado no Mundo), Tesla Motors (empresa de carros elétricos que têm atingido grande sucesso) e SpaceX (a nova geração de exploração espacial privada). Musk começou como imigrante sul-africano nos EUA e através de sua paixão pela invenção, conseguiu revolucionar indústrias. No entanto, não precisamos ir a outros países para achar exemplos de grandes empreendedores. Em Manaus, particularmente, destaca-se Gabriel Benarrós, que também começou com uma pequena ideia e hoje é CEO de uma das maiores empresas de venda de ingressos online do país, a Ingresse.

Com o crescimento da atuação de Venture Capitalists (investidoes ligados a firmas de investimento) e investidores-anjo, dinheiro já não é mais problema para mentes brilhantes. Não é difícil conseguir um aporte de + R$100 mil para sua start-up (empresa em fase inicial) e, acredite, este valor acaba rapidamente se a empresa não possuir um rígido controle de gastos. Em troca desse investimento, a empresa cede parte de sua equity (porcentagem).

Falei de questões monetárias para mostrar que nem sempre ter dinheiro é um fator determinante para um inventor. No entanto, a principal motivação da maioria dos empreendedores é a certeza de que estão contribuindo para um Mundo melhor. De todos os infinitos caminhos que uma pessoa pode seguir, o empreendedorismo é o mais efetivo para aqueles que querem fazer a diferença para a sociedade. Por isso, escolhi-o. Acredito que meras ideias, por vezes até ingênuas, têm o poder de impactar a comunidade humana de forma valorosa. Por exemplo, há 20 anos quem imaginaria que um dia carregaríamos no bolso um aparelho através do qual temos acesso a todo o conhecimento já produzido pelo homem?

Acabo de fornecer um panorama geral do empreendedorismo no Mundo. Agora abordarei as qualidades de um empresário. Para começar, é necessário ter disposição a correr riscos: start-ups passam por períodos de grande incerteza e qualquer erro pode ser devastador. Uma educação contínua também é fundamental. Deve-se buscar principalmente conhecimento informal (através de livros e websites) e prático. Estar sempre informado de tendências, mercados e competidores. Saber vender seu produto/serviço é uma habilidade igualmente almejada no Mundo dos negócios. Afinal, se você não acredita em sua própria ideia, quem acreditará?

Caso você, assim como eu, tenha a vontade de abrir uma companhia, uma boa ideia é começar desde já a estudar business management e marketing. Particularmente, indico os livros A Start-up Enxuta (The Lean Startup) e Contágio: Por Que As Coisas Pegam? (Contagious: Why Things Catch On?). Um bom conhecimento de psicologia comportamental também vem a calhar. Todas essas habilidades podem ser adquiridas gradualmente através de leitura e prática.

Já vi muitas pessoas com ideias fantásticas, mas sem o conhecimento prático para implementá-las. Atualmente, as empresas com base na internet (exemplos: facebook, codecademy, scribd…) são as mais práticas de serem lançadas. Se você se sente atraído por esta área, recomendo que aprenda a programar o quanto antes. A internet está cheia de recursos e não é necessário entrar em um curso presencial. Estou convencido de que dominar linguagens de programação é uma das habilidades mais preciosas no atual Mundo globalizado.

Na altura de meus 17 anos, virei sócio da start-up de turismo de aventura Pra Que Rumo. Tem sido extremamente gratificante trabalhar com o que gosto e assim dar meus primeiros passos nesta longa carreira de negócios que tenho pela frente. Espero ter ajudado você e, caso tenha se interessado, não hesite em me contatar. Adoro conhecer pessoas com os mesmos interesses.

Lembre-se de que seu destino nada mais é do que o conjunto de suas escolhas.

henrique.armond@hotmail.com

www.praquerumo.com.br

Write a Reply or Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *